Sobre a maturidade

Despenteei os cabelos, despi ideias. Pendurei minhas certezas todas no armário. Aprendi a deixar as coisas acontecerem ao seu tempo, sem atropelos. E ser, naturalmente. Excesso de planos e roteiros, tornam a vida burocrática. Falta tempo para deixar que a vida nos surpreenda. Faltam olhos que enxerguem leveza, um coração que converse no silêncio.

Mas talvez a falta de planos nos torne passivos diante da nossa história e nos traga apenas o que der, sem grandes méritos. Passamos a caber no que nos é concedido. Humilhante. Existe um ponto de equilíbrio entre estas duas vias, entre deixar as coisas acontecerem e todos os planos que temos para ontem. Este ponto de equilíbrio, nos é presenteado com o tempo e podemos chama-lo amigavelmente de maturidade.

É esta maturidade que abraçamos a noite quando não temos certeza do amanhã, e que mesmo sem certezas faz nosso coração dormir em paz. É esta maturidade que faz a gente acordar sem planos, entardecer maravilhados com a vida e deitar a noite felizes, mesmo sem motivo aparente. É esta maturidade que aceita e respira tranquila o agora como dádiva e sábia não questiona o porque que dos acontecimentos, agradece.

Anúncios
Artigo anterior
Deixe um comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: