Ao remetente

large

E se pudéssemos escrever uma carta a nós mesmos? Não para o futuro onde nada sabemos a respeito, mas ao presente que tantas vezes não sabemos entender?! Uma carta a nós mesmos, os remetentes, que nos diria coisas óbvias, nos traria devolta o chão, mas nos daria a possibilidade de novos céus e andorinhas. Nos sacudiria com a verdade mais dura, mas nos daria a chance do recomeço. Então decidi, lá vai…

“Minha amiga,

Vejo seus olhos tão profundos e uma vontade tão grande de viver o amor com tamanha intensidade que volta e meia esta a amar mais os outros do que a você mesma. Pare um pouco. Seu coração é enorme e caberia sim dentro dele tanto amor e perdão que nem você pode imaginar, mas não se preocupe, você pode desistir algumas vezes. Acho na verdade que você deveria.

Sei do seu estômago que acorda todas as manhãs comprimido pelo peso do seu coração, e na verdade acho lindo ver você sentir a vida com tanta verdade. Mas você já não pode mais se permitir machucar deste jeito. Tente enchergar o óbvio, mudar o canal. A gente sempre sabe quando uma etapa chegou ao final e insistimos em nos contentar com migalhas. Esta é a verdade, você passou a contentar-se com migalhas. Olhe-se no espelho, você é linda. E eu sei que agora você responderia ‘mas beleza não é tudo e nem me acho lá essas coisas’, e eu diria mais: o seu coração é lindo, sua fé, sua coragem e entrega. Poucos vivem desta maneira.

Olha lá, você acorda todos os dias tão cedo e vive uma vida tão agitada, merece um conforto ao fim de tarde. Amigas verdadeiras, uma família compreensiva, um amor de verdade. Tenho visto você dar boas razões para permanecer na vida de outras pessoas, mas desta vez você deveria querer boas razões para ficar. Seja rebelde um pouco, diga adeus, seja você. Não queira caber em situações para viver o pouco amor que os outros querem doar. Se você não sabe viver nas modernices, diga que seu coração não é desta maneira e continue em frente. Viver suas verdades lhe aproximará mais de pessoas como você, das pessoas certas. A vida não é tão complicada assim. As vezes nos enfiamos demais nos problemas e não conseguimos olhar sobre eles.

Anúncios
Artigo anterior
Artigo seguinte
Deixe um comentário

1 Comentário

  1. Esmeralda Oliveira

     /  28 de Dezembro de 2013

    Eu também te escreveria esta carta!
    E sendo redundânte te digo: você é linda nas duas faces e não precisa de esforço para receber o amor completo das pessoas, ao invés de migalhas; simplesmente porque a gente só recebe o que dá, então neste momento com mãos em forma de concha te devolvo amor, verdade, fé, determinação e força.
    Vai passar…pq tudo passa e rimos ao final.

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: