Combinando as palavras

large

Nunca fui, uma mulher menininha, se é que me entendem. Nunca fui vaidosa demais, nem nunca soube me vestir assim um arrazo, sempre estive por ali, basiquinha, nada demais. Também não sou dessas mulheres que sabem combinar tudo. A roupa, os móveis, os balões da festa. (Quem vai reparar na cor dos balões da festa?) As únicas coisas que eu sempre combinei bem foram as palavras.

E não há mais uma reverência minha a minha beleza (que nunca achei lá essas coisas) também sempre estive no time das basiquinhas. O diferencial sempre foi a personalidade. Como um ator que tem presença de palco, sempre me impus quando coube fazer. Não sei andar impiriquitada e quando faço, pode ter certeza ou gastei muito, ou houve muito esforço. rsrsrsrs  Já fui do time, calça jeans e regata branca. Hoje sou do time qualquer coisa menos calça.  Até mudei, do básico para o confortável. rsrsrs Sou vaidosa do nível “não vou sair feia na rua”, mas você não vai me encontrar de pó e blush na farmácia.

Nenhum homem estará comigo achando que sou a mais bonita de todas, porque logo de início afirmo ter 500 mulheres por ai mais bonitas do que eu. Não baseio relações em cima de coisas efêmeras como beleza e juventude. Tenho a consciência que as duas irão murchar, muito embora minhas palavras fiquem, meus sentimentos também.

Sempre tive um senso de humor aguçado, não negro. Pessoas engraçadas são mais atraentes eu acho. Sabem rir da vida, se divertir das lições que levam com o tempo e ficam menos duronas, mais flexiveis. Aprendem a contemplar as coisas e ver sentido nos detalhes.

Não é que eu queira me auto-afirmar aqui, mas as vezes bate uma saudade de saber-se, de sentir-se. E o meu sentir vem atravez do escrever.  E de repente deu uma saudade de mim…