Aprendi a sorri pra vida

E a vida tem sorrido pra mim nesses dias, retribuo sempre com toda felicidade, com toda paixão que sinto por viver. Retribuo sempre sorrindo pra ela também, olhando com mais doçura o que ela me permite viver, olhando com mais ternura pros outros, pra mim.

“…tem me ganhado nos detalhes e aposto que nem desconfia…” Caio Fernando Abreu

Tenho achado viver de uma profundidade, que me nego a desperdiçar qualquer oportunidade, não quero companhias levianas, de corações frios ou superficiais. Tenho achado viver tão intenso que só existir pra mim é muito pouco, não quero passar despercebida, longe, fria. Não quero romances sem calafrios na espinha, não quero um verão inteiro longe do mar, nem uma vida sem brilho.

Me sinto renovada, meu coração, que por medo de sofrer se afastou do amor, amanhece dentro de cada novo sonho, de cada nova esperança, de toda nova possibilidade. E reconhece que viver assim sem toda essa paixão, sem todo esse amor é pequeno demais. Engraçado que meu coração aprendeu a amar mais a vida, os pequenos momentos e a simplicidade de cada pessoa quando se encontrou sozinho, quando olhou pra si e respirou a tranquilidade de se (re)descobrir. O que era essência ficou, esta aqui comigo, o que não era se foi e o que ainda não foi se despede sem grandes tormentos.

vai menina

Então vai lá menina, é fim de ano, e depois o começo de tudo. É tempo de sonhar, de desejar, de querer coisas novas, é tempo de escrever uma nova história, ou de por enquanto, querer que ela seja diferente. Vai lá e se joga, se entrega. Abre esse peito tão escondido e mostra esse coração pro mundo. Deixa alguém entrar. Porque amor a gente sabe que tem. Deseja algo diferente dessa vez, algo bem diferente, como se apaixonar na padaria. Esquece o que os olhos podem ver, porque engana tanto, e sente quem está ao teu lado. Esquece as mágoas, esquece o medo, esquece o sofrimento, esquece algumas pessoas, não todas. Tem gente que não dá pra esquecer nunca.

Deseja amor, porque amor nunca é demais. Deseja sorrisos e bons amigos, eles fazem tudo ter significado. Não tenta se apossar de ninguém, as pessoas gostam de liberdade, qualquer coisa de coração vem com mais intensidade do quando vem por obrigação. Seja livre, se desapega dos costumes. Vai no shopping um dia e compra a coisa mais cara que você quiser e agradece a Deus por isso, por você poder ter o que deseja, mas no outro da tua mão a quem precisa e um pouco do teu tempo a quem não tem nada e agradece a Deus por isso, por poder ser instrumento Dele em outras vidas. Sai com teus amigos e te diverte, mas tira um dia pra ficar só, pra olhar pra dentro. É importante olhar pra si de vez em quando. Tem gente por ai que vai acontecendo e quando vê já se transformou em algo que não queria.

Vai menina, teu coração tão puro nunca errou o caminho, nem as pessoas. Tua vida sempre foi aprendizado. Arruma mala e prepara o coração… vai ser um novo tempo!

sobre o esquecimento

 

weheartit.com

 
Sabe,  eu entendo que cada coisa tem sua hora de chegar e sua hora de partir e eu entendo também que as vezes a gente custa a abrir mão delas e se apega a perda, as boas lembranças e seja lá o que for. Hoje eu percebo que  algumas coisas demoram para encerrar seu ciclo e se despedem a passos lentos e só  se vão mesmo quando o que restou da saudade e das lembranças começa a ficar tão distante que a gente começa a esquecer como foi mesmo que tudo aconteceu. Os momentos começam a ser apagados pouco a pouco e o que fica é essa sensação de “como faz tempo”. 
 
“… na distância a gente perde ou esquece tudo aquilo que construiu junto. E esquece sabendo que está esquecendo.” Caio Fernando Abreu
 
E hoje me sinto assim, tenho lembranças tão distantes que entendo que é o momento de despedida, entendo que algo está indo embora, e que algo ao mesmo tempo que diz adeus se eterniza, porque começa a viver num tempo eternizado, o passado. E me despeço com os olhos cheios de lágrimas e com uma saudade que agora sabe-se pra sempre. Mas tem alegria porque ao mesmo tempo que me doei e fui o melhor que pude ser, finalmente a porta se abre e os comodos vazios reconhecem que é hora de ocupar os espaços, mudar a decoração e deixar a luz entrar. Sabe-se um novo tempo.