a vida “presente”

Ah, vamos lá. Viver não é mesmo essa loucura?! Um dia chora-se a ausência, no outro rimos do passado, dos momentos, dos sentimentos. Um dia a gente levanta a cabeça e sei lá parece que tudo faz mais sentido, que finalmente a plenitude chegou. A gente não esta sentindo falta de nada.

“Plenitude é quando a vida cabe no instante presente, sem aperto, e a gente desfruta o conforto de não sentir falta de nada.” Ana Jácomo

Não sei ao certo como fazemos pra chegar lá (na plenitude). Mas acho que aos pouquinhos tudo se ajeita. Viver no presente é a melhor das escolhas. OCUPE-SE! Não sobra tempo pra sonhar com o futuro (e quem sabe sofrer com sonhos desfeitos), nem tão pouco sobra tempo pra lamentar o passado. A vida presente é a melhor das escolhas. E temos que nos manter no presente para poder vivê-la. Alguém me disse que não é à toa que o hoje se chama “presente”. Entendeu? Encare como um presente, mude o que precisa mudar, pegue todas as chances possíveis e vá a luta. Chega de passividade… assuma o leme, diga pra onde quer ir, que paisagem deseja ver.  Desenhe coisas novas, e ao colorir, escolha novos tons. 

“A vida é muito curta para ser pequena.” Disraelli

Não dá pra aceitar uma vida pequena, mesquinha, uma vida sem paixão, sem atitude. Reinventar -se. 

“Sempre dá tempo de ser alguém melhor. . Todo recomeço é também uma recriação de si próprio. Ninguém, senão você mesmo, será capaz de fazer isto por você”  @elaseeunomeio

de: http://weheartit.com

Ah, vamos lá. Viver não é mesmo essa loucura?!

Anúncios

sobre a espera

“Freqüentemente me assusto, pensando que a vida vai acabar sem que eu encontre um grande amor.” Caio Fernando Abreu

Já me assustei bastante também. Há quem diga que quem baseia a vida no amor é passional demais e fazem parecer que isso é algo ruim.  Mas acho que bem no fundo todos estamos esperando tropeçar num amor, esbarrar em alguém que nos faça sentir especial. Estamos todos a mercê de alguém que venha pra bagunçar ou arrumar nossos sentimentos. 

Mas o tempo passa e a gente termina perdendo a esperança desse encontro, porque depois de tanta espera, de tantas idealizações e desejos a gente cansa de ver a carruagem passar vazia, de esperar que alguém apareça pra gente começar a viver.  Ai a gente decide viver por conta própria mesmo, decide ir a luta pelos nossos sonhos, como num monólogo onde todas as atenções se voltam para um único ator.

Uns amigos de fé aqui, saidas ali, bares, restaurantes, viagens. Um livro, um filme, um tempo. Um tempo a sós. E descobre-se que estar sem companhia fixa, nos trouxe a melhor companhia do mundo: nós mesmos. Aquela história de cuidar do jardim aparece aqui, neste momento. Porque afinal é o que vínhamos fazendo mesmo que sem perceber. E então as borboletas? Ah, elas aparecem…

” Engraçado que quando a gente para de acreditar em ‘amor da vida’, um amor pra vida da gente aparece.” Fernanda Mello

sobre ir embora


de: http://weheartit.com

“Você acha que algum de nós sabe o que está fazendo? Acha que existe alguma forma de os seres humanos se amarem sem complicação? (…) Mas, mesmo assim, os seres humanos precisam tentar se amar, querida. A gente precisa ter o coração partido algumas vezes. Isso é um bom sinal, ter o coração partido. Quer dizer que a gente tentou alguma coisa.” Elizabeth Gilbert

Sou do tipo me ame ou me deixe, quando falo de amor, paixão, dessa troca de sentimentos entre duas pessoas. Eu não tenho vontade de ser a amiga, a conselheira. Acabou? A-C-A-B-O-U. Respeite meu momento, meu sofrimento daqui a dois anos a gente se encontra na rua e eu te pergunto: “tudo bem?”

Não é que eu deseje mal, nunca. De longe a gente manda energias boas, deseja que o outro seja feliz, que a vida se resolva. Mas no auge da separação a gente precisa mesmo de distância, de ausência. A gente precisa se buscar, se encontrar sozinho mesmo.  Já bastam as lembranças para tornar o esquecimento difícil não preciso da educação e carinho de alguém que decidiu ir embora. Eu acredito que as pessoas escolhem o lugar que os outros vão ter na sua vida. Então, nesse caso me escolheram fora da vida. 

Eu sei que não é por mal. A vida segue e as pessoas continuam se buscando em outras pessoas, que as vezes, o sentimento acaba mesmo, que a relação se desgasta, tudo bem. Vá em frente. Mas me deixe de verdade.

“Aprendi a não economizar amor, elogios, encontros. Aprendi a tentar não viver simbioticamente.” Marla Queiroz

Não insista em um relação sem troca, ou com pouca troca. Eu não sei ser pela metade. Não me peça pra te ver de vez em quando e fingir que eu não tenho um coração. Eu só sei amar me entregando, acreditando, sonhando, sem medidas e sem medo.

Meu coração não quer mentiras, nem omissões, quero a verdade, sempre. Mesmo que machuque, que doa.  Amar tem dessas coisas, correr os riscos, não ser correspondido, não corresponder. Viver também tem dessas coisas. Eu não reclamo de sofrer, de viver, de amar. Mas me deixe fazer por inteiro, me deixe ser inteira.

de: http://weheartit.com

“Escolhi o amor porque essa era a forma mais grandiosa de ser autêntica. “
Marla de Queiroz


o amor de verdade

de: http://weheartit.com

Definitivamente não acho que o mal do século seja a solidão, desculpem os que acreditam e até defendem esta teoria. Mas o que tenho visto por ai é bem diferente disso. As pessoas estão dispostas a tentar, elas querem se envolver, se apaixonar, elas querem viver as loucuras do amor.

Mas o que me preocupa é essa vontade que o amor seja esse alvoroço todo de sentimentos sabe? Fica todo mundo querendo ver passarinhos azuis, verdes ou seja lá o que, que um belo dia um cupido acerte seus corações. Tá até ai nada demais, mas ficar querendo viver isso pra sempre é demais. Estão todos querendo alguém pra perder o fôlego, pra cometer loucuras, viver coisas de outro mundo.

“Depois de anos escrevendo sobre alguém que me tire o chão e me roube o ar eu venho humildemente me retificar. Eu quero alguém que divida o chão comigo, alguém que me traga fôlego.” Fernanda Mello

Eu não acho que amor seja aquela coisa morna,  mas também não acho que seja só essas loucuras, esse turbilhão de sentimentos. Acho que são pequenas dosagens de loucuras e muitas dosagens de paciência, de compreensão, de ajuda, de apoio, de conversa.

Eu acredito no amor como uma decisão. Você se apaixona por alguém, vive momentos inesquecíveis, depois de um tempo começa a conhecer as qualidades e os defeitos dessa pessoa e depois se faz aquela pergunta inconscientemente “posso amar essa pessoa?” E a gente decide amar, com todos os defeitos, com toda história por trás daquela vida, com todas as dificuldades que possam existir.

Eu não estou dizendo aqui que eu vou fazer isso com qualquer estranho no meio da rua e pronto vou amar ele pra sempre. Eu até poderia ter uma atitude de amor, que é cuidar, perdoar, me dedicar. Mas estou dizendo que estando eu apaixonado, admirado, encantado, numa amizade, eu posso ser capaz de decidir amar alguém.

“Antes era imaturidade, antes era uma procura por mim mesma que não tinha acontecido.” Fernanda Mello

As pessoas estão tentando se encontrar nas paixões, estão procurando por algo que nem elas mesmas sabem o que é e algumas vezes estão tornando o amor algo impossível por acreditarem em tantos cupidos e palpitações.

“Construimos muros de mais e pontes de menos.” Isaac Newton

Não estou dizendo para deixarmos o romantismo de lado, mas os contos de fadas é algo que ficou na nossa infância. Não encontramos com príncipes e princesas ao cruzar as ruas. Estamos falando dos homens que existem, dos imperfeitos, dos nem tão bonitos, dos engraçados, daqueles que são de verdade, mas aqueles nos inspiram e nos fazem amá-los com todas as imperfeições. Do mesmo jeito as mulheres para os homens, VOCÊS NÃO VÃO ENCONTRAR UMA MULHER PERFEITA. Se ela é compreensiva, pode ser melosa, se ela é engraçada pode não ser tão bonita. A gente tem que saber com que defeitos somos capazes de lhe dar, porque estes vão sempre existir.

Portanto deixe de procurar um super-homem ou uma mulher maravilha para se envolver, eles não existem. Pare de esperar que alguém caia do céu, pare de exigir demais das pessoas quando nem você pode ser o que espera que elas sejam.

de: http://weheartit.com

 “Às vezes a vida é dura demais para ficar sozinho, e às vezes a vida é boa demais para ficar sozinho.” Elizabeth Gilbert

essa tal liberdade

peguei em: weheartit.com

Eu tentei duas vezes escrever um texto sobre liberdade aqui, mas acho que não sei escrever sobre isso. Pra mim, liberdade é como um verbo que a gente conjuga no tempo que quiser. A gente não precisa estar se provando o tempo todo que é livre, porque essa é a nossa essência. A diferença é que as vezes preferimos compartilhar (ou não) essa nossa liberdade com alguém. Confesso que eu nunca “viajei” demais nesse tema, essa coisa de não ter apego a nada e a ninguém nunca fez a minha cabeça… Há os adeptos.

Eu não tenho essa necessidade de sair e beijar 3,4 ou 5 pessoas na mesma noite, eu não sinto vontade de me envolver com mais de uma pessoa ao mesmo tempo. E acreditem que tem gente que acha que liberdade é isso.

“Eu sou de ninguém, eu sou de todo mundo e todo mundo é meu também..”  ♫ Tribalistas

Quantos já não cantaram esses versos?

Eu acredito que a verdade liberta, então pra mim liberdade é verdade. Pra outras pessoas liberdade pode ser não ter que dar satisfação, fazer o que se quer na hora que se quer. Eu acredito que liberdade esta ligada a autenticidade, a forma como você é sincero com você mesmo, com o que sente e com as pessoas ao seu redor. É poder ser o que se é sem medo, tomar suas decisões, fazer suas escolhas com base nos seus princípios e não apenas pela aprovação dos outros.

peguei em: weheartit.com

“Isto é a liberdade: sentir o que o seu coração deseja, independente da opinião dos outros.” Paulo Coelho

Tá ai, é nisso que eu acredito.

a dor

peguei em: http://weheartit.com

“A única coisa que sei é que dias ensolarados virão. Mas enquanto eu sentir dor no peito, terei muito respeito por esta dor no peito, sem apegos, só por pura consciência de que a vida é cíclica e de que senti-la é a única forma de entender a dor alheia.” Marla de Queiroz

Sempre fui contra a evitar o sofrimento. Todos sofremos na vida, por várias razões e estes sofrimentos, por diversas vezes, servem, se não pra outra coisa, pra nos tornar mais humildes.  

Já estive lá também, por motivos diferente e as vezes pelo mesmo motivo. Eu já quis ser inimiga da dor e me dopei com sorrisos embriagados, com alegrias falsas de uma noite, com as razões mais erradas de todas e com todas essas razões eu pisei nos meus princípios, nos meu valores, no meu coração. Porque parecia que a única forma de se caber era fingir que não se tinha um coração, porque ele doia demais.

“Não é isso que todo mundo acha super divertido? Beber e fumar, e beber e dançar e chegar tarde e envelhecer e não sentir nada?” Tati Bernardi

Mas eu também tive a oportunidade de abraçar a minha dor, de rasgar, de sangrar. Eu tive a oportunidade de respeitar o meu tempo, o meu momento, o meu coração. Eu já passei longos períodos chorando pelo mesmo motivo e dormindo dopada pela dor.

Foi então que percebi que se esse teu sofrimento não é algo que te faz ir pra farra as pessoas nem sempre vão estar te consolando. E é ai que você, sozinha, apanha seu coração no chão. Porque as pessoas não param, não olham, elas não tem tempo.

Eu aprendi a me recriar, ainda sendo a mesma. A me bastar, ainda precisando de companhia. Eu já fui ao cinema sozinha e na cadeira do lado apenas o meu coração e depois a gente se olhava e se reconhecia. Eu aprendi que pra ser alguma coisa, no fundo no fundo, você precisa ser nada uma vez na vida.

peguei em: http://weheartit.com

“Posso te garantir que o verão solitário me deixou mais mulher, mais leve e mais bronzeada” Tati Bernardi

ser o que se é

peguei em: http://grand-finale.tumblr.com

Não sei ao certo o que aconteceu, quantas pessoas mudaram, o que se perdeu. Essa história de entrar em contato,  de tocar o coração das pessoas vai além do bem-me-quer, mal-me-quer do amor. Acho que acreditar sempre foi o segredo.

E eu continuo andando por ai, sem grandes respostas para os grandes questionamentos da vida. Eu tenho as minhas respostas e elas nem sempre bastam.  Eu tenho as minhas dúvidas e as minhas certezas, as minhas tristezas e as minhas alegrias. Vivo cometendo os mesmos erros, acreditando nas pessoas, dando uma chance ao possível (porque na vida nada é impossível). Eu vivo acreditando que T-U-D-O é possívelUm olhar deslumbrado pro mundo. E dai?

Eu quero esse sentimento que vem através do ser o que se é, essa coisa que a gente pode transformar, que pode mudar. Estou convencida que a bondade com os outros termina contaminando o nosso próprio coração, porque você passa a não só acreditar em milagres, mas ajuda a torná-los reais. E essa é a beleza dos milagres, saber que eles vem através das pessoas, pelas pessoas, com as pessoas.

peguei em: http://grand-finale.tumblr.com

“Deixo espaço para imaginar. Querer entender tudo é não entender nada.” (Fabrício Carpinejar)